Conheça 12 dicas sobre aceitação na esquizofrenia

Facebooktwittergoogle_plus

Aceitação!! Como aceitar que meu familiar não é como eu gostaria ou como todas as outras pessoas são? Como entender que ele terá algumas limitações? Conseguirá viver “normalmente”?

Sim, realmente é um momento bastante complicado e dolorido aceitar que um familiar seu não poderá viver ou ser como você, ou como ele mesmo planejou.

Ver ele/ela em casa, parado, sem amigos, sem trabalho, sem uma perspectiva de vida, machuca muito as mães e cuidadores, principalmente mães, que geralmente são as principais cuidadoras e mais sensíveis.

Como agir nessa hora? Como ajudar esses cuidadores? Como ajudar as pessoas que tem a esquizofrenia?

Conheça algumas dicas para aprender a passar por essa fase sofrendo menos.

6 dicas para o cuidador sobre Aceitação do seu familiar

  1. Primeiramente você cuidador precisa aceitar seu familiar como ele é, com as limitações e medos que ele tem. É preciso entender que ele vai precisar de medicações para sempre sim e que não poderá fazer algumas atividades e ter algumas relações, como por exemplo: trabalhar e casar/ter filhos;
  2. O cuidador precisa aprender a lidar com as suas frustrações e planos futuros, ser avó e ver seu filho/a formado por exemplo, pois possivelmente esses planos não venham a se realizar e tudo bem. Seu familiar não será menos importante por isso, tenho certeza que ele tem muitas outras alegrias para compartilhar com você;
  3. Olhe para o seu familiar como ele é agora e não como era antes do diagnóstico ou como ele poderia ser. Ficar vivendo de passado ou de ilusões só vai trazer mais sofrimento e decepções para todos envolvidos;
  4. Respeite o tempo e os medos que o seu familiar tem. Procure se colocar no lugar dele, do que ele sente e vive, será mais fácil compreender o que ele se recusa ou evita fazer. Converse com seu familiar, entenda o que se passa, só entendendo o outro podemos compreende-lo melhor;
  5. Não pressione demais seu familiar para ser ou fazer o que ele não tem condições! Saiba que o estresse e a pressão excessiva podem ocasionar uma crise. Pense que eles já sofrem demais por ver as pessoas ao seu redor mudando enquanto eles parecem não sair do lugar;
  6. Seja feliz por quem seu familiar é, como ele é. Aproveite os momentos ao lado dele e o que ele te trás de bom, pois eu tenho certeza que vocês terão um belo aprendizado nessa relação!

 

6 dicas para ajudar seu familiar na aceitação do transtorno

  1. Motive sempre seu familiar. Estimuleo a fazer atividades que ele goste, a interagir socialmente, a voltar a cuidar de si mesmo;
  2. Mostre para ele que você acredita nele e é feliz por tê-lo ao seu lado. Convide-o para participar de momentos com você;
  3. Mostre as tarefas e realizações que ele fez, aponte o que ele faz bem, incentive-o a continuar, por menor que seja o que ele tenha feito, elogie;
  4. Incentive a autonomia do seu familiar! Não faça por ele o que ele mesmo pode fazer! Como por exemplo: arrumar a cama, tirar a louca, ajudar em casa;
  5. Auxilie seu familiar a se organizar, a dar o primeiro passo e NUNCA DESISITIR!
  6. Conte e demonstre para seu familiar que você vai estar sempre ao lado dele. Que você vai apoiá-lo sempre e demonstre o quanto a ama!

Essas são apenas algumas dicas para os cuidadores e pessoas que têm esquizofrenia, para que eles possam pensar e aprender aos poucos. Também para que não sofram tanto querendo o impossível, que olhem o lado bom do seu familiar, aprendendo a valorizar as pequenas conquistas deles.

Sim, não é uma tarefa fácil, mas também não é impossível! Aprender a aceitar o outro como ele é com seus defeitos, limitações, traz menos dor e decepção para ambos os lados.

E sendo assim, eu te convido a fazer este exercício. Olhe para teu familiar e aceite-o como ele é! NÃO queira mudá-lo ou forçá-lo a ser o que ele não pode, o que o faz sofrer.

Permita-se ser feliz e fazer seu familiar feliz sem cobranças ou julgamentos! Você verá que o caminho será mais leve e bonito.

Beijos e até logo!

Daniela

Comentários

Comentários