5 Dicas para olhar o seu familiar Além da Esquizofrenia

Facebooktwittergoogle_plus

Como você vê o seu familiar que tem esquizofrenia? Como você olha e trata ele?

Muitos cuidadores veem seu familiar sempre com um olhar de pena, de “coitadinho”, como se essa pessoa fosse incapaz e precise sempre ser vista com pena, de uma certa forma, inferior as demais pessoas.

Sim, isso vai acontecer algumas vezes, principalmente no início, ao se descobrir o diagnóstico ou em momentos de surto.

Entretanto, o que eu quero te convidar a refletir não são esses momentos, mas sim, a forma de ver essa pessoa, no dia a dia, de forma geral, nas situações cotidianas.

Ter pena, compaixão em certos momentos, tudo bem, é compreensível e vai acontecer sim.

No entanto, vamos pensar: como você se sentiria se alguém te olhasse todos os dias com olhar de compaixão? Como se você fosse um “pobre coitado”. Com certeza você não iria gostar, não é mesmo?

Agora imagine o seu familiar, que já tem um transtorno, que já vivencia diversos sentimentos e precisa aprender a lidar com tudo isso. Como ele se sentirá?

Tenha certeza que eles já se sentem inutilizados pelo que tem, pensam que não servem para mais nada. E se forem vistos, colocados no lugar de “coitados”, como você acha que eles irão reagir?

É claro que eles vão se isolar ainda mais. Outros poderão se aproveitar dessa situação em favor deles, como por exemplo, se acomodando mais ainda, se aproveitando para obter o que querem, para não fazer algo.

Você consegue entender como a forma de olhar o teu familiar pode prejudicá-lo?

Não, eu não estou culpando você cuidador. Muito pelo contrário, eu te entendo, sei os motivos que te levam a ter esses sentimentos. Sei o que você sente ao ver teu familiar em crise, sem poder seguir uma vida diferente, frustrado com o que não pode realizar.

E exatamente por te entender, por saber o que se passa na cabeça de muitos cuidadores, que eu te convidei a refletir sobre olhar como coitadinho para o seu familiar, para que você entenda o que esse comportamento pode causar e para que você possa modificar essa situação.

Dicas para olhar teu familiar além da esquizofrenia:

  • Experimente olhar para o seu familiar como uma “pessoa normal”. Como alguém que tem sim um transtorno e algumas limitações, porém, uma pessoa que pode fazer muitas coisas, que pode viver normalmente, que pode realizar atividades, ser útil em casa e não ficar dormindo o dia inteiro;
  • Procure olhar além da esquizofrenia para seu familiar. Permita que ele faça e ajuda nas tarefas de casa, cuide dele, na medida do que for possível, é claro;
  • Pense que talvez o seu familiar não esteja tão infeliz como você pensa. Talvez ele goste de ficar assistindo Tv ou jogando vídeo game, ao invés de ir para uma festa, qual o problema?
  • Mostre para o seu familiar que ele é útil e pode contribuir de alguma forma, mesmo não trabalhando fora, sempre existe algo que se possa contribuir, concordas?
  • Converse sobre o que ele gosta de fazer e o que o faz bem, mesmo em casa. Use o diálogo a seu favor, isso vai aproximar vocês.

Percebe como não precisa ver o seu familiar sempre com a “síndrome do coitadinho”?

Daqui para frente….

Então vamos combinar que agora você vai olhar para seu familiar com outros olhos, olhos de quem olha para qualquer outra pessoa.

Que vai pensar no que ele pode fazer, no que faz bem, como faz, e não o que ele não consegue mais fazer.

Pense sobre isso! Modifique o jeito de olhar e tratar o seu familiar.

Eu tenho certeza que você vai notar uma grande mudança, para melhor!

Vai perceber que ele se sentiu valorizado, que a autoestima dele melhorou, que os comportamentos dele se modificaram.

Ele não vai mais usar como argumento que não pode fazer alguma tarefa por ter esquizofrenia, pois essa desculpa não vai mais funcionar com você!!

Sendo assim, bora deixar a “síndrome de coitadinho” de lado e olhar além da esquizofrenia para o seu familiar!

Comece e verás a diferença!!

Abraço,

Daniela

Dicas!!

Dicas!!

Comentários

Comentários