Cuidador, você realmente quer ajudar o seu familiar? Conheça 6 dicas sobre como ajudar seu familiar

Facebooktwittergoogle_plus

Se eu perguntar a você cuidador, se você realmente quer ajudar o seu familiar o que você irá responder? Com certeza a resposta vai ser sim, claro!

E ainda vai estranhar minha pergunta, outros podem ficar bravos, ou sem entender o sentido da questão.

Calma, você vai entender aonde eu quero chegar com essa pergunta.

Óbvio que eu sei que o principal desejo de todo cuidador é ajudar o seu familiar da melhor maneira.

Mas, será que você está fazendo isso da maneira correta?

Vamos entender melhor a mensagem que eu quero passar para você cuidador.

Em quase todos relatos que eu recebo, de cuidadores, eu percebo os cuidadores focados exclusivamente no seu familiar, esquecendo-se de si mesmos.  Com muita culpa, com uma superproteção enorme, adoecendo.  E qual o problema de tudo isso?

Qualquer pessoa que esqueça de si mesma vai ter uma consequência, vai sofrer de alguma maneira. Devemos pensar em nós mesmos, sempre, em primeiro lugar!

Sim, sempre! E isso não é egoísmo. Isso é amor próprio.

Eu costumo usar muito uma frase com meus pacientes, “você só poderá dar o que você tem”! Aquele cuidador que não está bem, que não se cuida, que está desistindo de si mesmo e acaba adoecendo, vai dar o que ao seu familiar? Como vai ajudar o seu familiar não estando bem?

Para motivar uma pessoa você precisa estar motivado. Por exemplo, se você quiser incentivar o seu familiar a fazer uma academia e você não faz nada, você não se cuida, acha que ele vai acreditar no que você diz para ele, que faz bem, que irá ajudá-lo?

Pense: quando vemos alguém falando motivado, com um tom de voz animado, empolgado com alguma coisa isso nos contagia certo?

Então, da mesma forma o contrário. Se vemos uma pessoa para baixo, desanimada, com um tom de voz fraco, quase sem voz, essa pessoa não vai conseguir chamar nossa atenção e por mais que ela tente, não iremos seguir ou ouvir o que ela tem a dizer.

Você consegue entender o que eu quero dizer?

É preciso que você esteja bem, esteja cuidando de si mesmo para que possa cuidar do seu familiar. Se você estiver doente, sem forças, com o seu emocional extremamente abalado não poderá ajudar o seu familiar de forma eficaz.

6 dicas sobre como o cuidador pode ajudar o seu familiar

  1. Cuide de você em primeiro lugar! Se ame em primeiro lugar! Você é a pessoa mais importante, depois vem o outro;
  2. Tenha seus momentos de lazer. Saia com amigos ou sozinho mesmo. Tenha um tempo para si, SOZINHO! Você precisa respirar!
  3. Se respeite! Conheça seus limites. Ninguém consegue ser uma fortaleza o tempo todo. Você vai ter momentos ruins, vai ter momentos tristes e precisa deixar isso vir para fora. Você é um ser humano, não uma máquina. Quando estiver demais, é hora de agir, de fazer alguma coisa para mudar, de diminuir a velocidade;
  4. Não se cobre, não se culpe tanto. Lembre-se sempre que nem você nem ninguém tem culpa por seu familiar ter esquizofrenia. Não exija além das suas forças. Faça e vá até onde você pode ir;
  5. Controle suas expectativas. Você vai precisar lidar com suas expectativas quanto ao seu familiar, por isso é importante que você faça uma terapia, para aprender a lidar com suas frustrações, para aprender a conviver com a esquizofrenia;
  6. Aceite o seu familiar como ele é. Essa é uma das mais difíceis tarefas do cuidador. Aceitar que esse familiar é novo. Que ele tem algumas limitações, que ele terá outros objetivos, mas que ele poderá ser feliz do jeito dele, no tempo dele. Aceitando o seu familiar você só irá contribuir para melhora do seu familiar.

Essas são algumas dicas para que você possa ajudar o seu familiar e ao mesmo tempo ajudar a si mesmo.

Saiba que ajudando a si próprio em primeiro lugar, na verdade você estará ajudando mais ainda o seu familiar. Você estará sendo o exemplo dele, o modelo, certo?

Tudo que vemos fica mais fácil de entender, de colocar em prática.

Sendo assim, espero que você possa prestar mais atenção em você, dedicar um tempo para cuidar da sua saúde mental, das suas emoções.

Tenho certeza que você vai sentir os benefícios, vai conseguir dar uma qualidade de vida maior para o seu familiar, para você e todos demais familiares.

Experimente!!

Experimente!!

Abraço,

Psicóloga Daniela.

 

Comentários

Comentários