Esquizofrenia: 12 estratégias de enfrentamento para os familiares

Facebooktwittergoogle_plus

No artigo de hoje eu trago para vocês 12 estratégias de enfrentamento que você, cuidador/familiar pode utilizar na convivência com seu familiar que tem a esquizofrenia.

  • Não negue os sintomas e o transtorno. Todos familiares inicialmente passam por essa fase de negação, em que não aceitam o diagnóstico, o que é normal e compreensível, porém após um período é necessário que se comece a trabalhar essa aceitação. A não aceitação do diagnostico dificulta ainda mais a relação com o familiar e atrasa o tratamento e estabilização.
  • Procure o quanto antes tratamento e apoio para o paciente e familiares. O tratamento medicamentoso é FUNDAMENTAL. Entretanto, se ele for acompanhado, por exemplo, de Psicoterapia, terapia funcional e Grupos de Psicoeduação (para paciente e familiares) a estabilização e harmonia do lar alcançarão resultados muito melhores.
  • Informe-se, busque ajuda, conhecimento. O conhecimento do transtorno, de como lidar com o familiar, como agir em determinadas situações, o apoio, acolhimento encontrado em grupos auxiliam na solução de conflitos, por exemplo. Através da participação em grupos os familiares têm um espaço para seus desabafos, suas dúvidas e angústias, sem que sejam julgadas ou criticadas por outras pessoas.
  • Controle suas expectativas quanto ao seu familiar. Aprenda a não esperar mais do que seu familiar poderá fazer e NÃO faça tudo por ele! Eles poderão fazer muitas coisas, porém tem seus limites, medos. Respeite o tempo deles. Olhe para ele no presente e não no passado ou futuro. Cobranças excessivas prejudicam o tratamento e só afastam seu familiar.
  • Não esqueça sua vida social. Não abra mão de fazer as coisas que você gosta, se você gosta de ir ao cinema ou sair com as amigas, não deixe de fazer isso. Sempre existe um tempo, um jeitinho de fazer as coisas. Não se isole. Mantenha contato com sua família (se valer a pena também né!) amigos, vá namorar, dar risada, tenha seu momento de lazer!
  • Valorize cada conquista do seu familiar! Mesmo que seja uma pequena ação, gesto ou atitude, valorize, motive, elogie seu familiar. Demonstre como é importante a ajuda dele (a), o quanto você fica feliz com a colaboração dele. Mesmo que eles não façam do melhor jeito ou como você faria, não refaça (se for muito necessário refazer, que seja quando seu familiar estiver longe) ou critique, isso mexe com a auto estima deles!

Atenção!!

  • Cuidado com as críticas!! Criticar o tempo todo só vai afastar e atormentar cada vez mais o seu familiar! Além é claro, de criar um clima hostil, ambiente agressivo, onde ninguém se entende, com relações difíceis e amargas. Procure sempre olhar o lado positivo de tudo, sempre tem um lado bom!
  • Procure respeitar, ouvir e tentar compreender seu familiar. É muito mais fácil e dá menos trabalho ouvir sempre o outro primeiro antes de xingar ou criticar. Procure se colocar no lugar do seu familiar. Ouça o que ele tem a dizer, com atenção e carinho. Mesmo que seja algo impossível, para eles é real, ouça primeiro, depois procure conversar numa boa.
  • Nunca se culpe por seu familiar ter esquizofrenia! A culpa também sempre está presente nos familiares/cuidadores, principalmente no início. Mas com o passar do tempo esses familiares descobrem que não foi erro deles, não foi falta de cuidado ou amor. A esquizofrenia é uma doença genética, ninguém tem culpa por tê-la. A culpa fará você se afastar do seu familiar atrasando o tratamento e convivência saudável entre vocês. Busque apoio em grupos, terapia para que você possa trabalhar esse sentimento.
  • Religiosidade. A fé, a crença de cada familiar ajuda muito a vivenciar cada dia. Seja a religião ou crença que for, se ela te dá forças, continue seguindo. A fé ampara os familiares, conforta. O importante é nunca confundir e acreditar que a religião vai curar o seu familiar!
  • Vença o preconceito! Primeiramente é preciso vencer o preconceito que existe no próprio familiar/ cuidador e após essa etapa continuar lutando para mostrar que o seu familiar é um ser humano como outro qualquer e assim deve e merece ser respeitado. Não tenha vergonha de dizer o que seu familiar tem, não esconda ele dos outros. Quanto mais a família demora para aceitar, pior será a aceitação e estabilização do seu familiar. Converse com seus familiares, procure saber do transtorno e compartilhe esse conhecimento com as outras pessoas para diminuirmos cada vez mais o preconceito!

Nunca esqueça!!

  • Cuide sempre de si mesmo!! Procure manter uma alimentação saudável, praticar exercícios ou alguma atividade que te agrade. Tenha seus momentos de lazer. Cuide da sua saúde mental! Faça seus exames regularmente! Não fique sofrendo por antecedência ou pelo que poderia ter acontecido. Viva o hoje, o agora! Aproveite os momentos com e sem o seu familiar, pois lembre-se sempre que o tempo não para e não volta!! Seja feliz!!

 

 

Beijos,

Daniela

Comentários

Comentários