Esquizofrenia: quem tem pode namorar, casar ou ter filhos?

Facebooktwittergoogle_plus
Pode ou não??

Pode ou não??

Esquizofrenia: a pessoa que tem consegue ter um relacionamento amoroso como: namorar, casar, ter filhos, por exemplo?

Essa é uma dúvida  que a maioria dos cuidadores e familiares tem. E justifica-se pelo medo dessa relação, como: a pessoa vai entender o transtorno? Não vai se aproximar por interesse, podendo abusar do meu familiar? Como vão construir uma família com esse transtorno?

Extremamente normais dúvidas como os exemplos  acima, afinal o cuidador teme por seu familiar,  que este prejudique-se e quer protegê-los.

Agora o que devemos pensar em 1° lugar é se eles vão querer essa relação?! Pois, dependendo do tipo de esquizofrenia, do grau do transtorno, eles não conseguem se relacionar com outra pessoa amorosamente.

Essa não aproximação é motivada pela dificuldade social que a pessoa que tem a esquizofrenia sente, pela desconfiança de uns, ou até mesmo porque não se acham capazes ou merecedores do amor de outra pessoa.

Outro ponto a ser abordado é o fato que algumas medicações aumentam a impotência em homens, o que faz com que eles evitem relacionamentos. Nas mulheres também irá inibir a vontade sexual, desestimulando a busca por um parceiro/a.

O cuidador deve observar sim a pessoa que se aproximou do seu familiar e explicar o que ele tem. Deixar claro que não tem cura, falar sobre os comportamentos e consequências do transtorno para que o parceiro/a esteja ciente das dificuldades que terá (pois sempre pode surgir crises!). Caso isso não seja empecilho, ótimo, você pode ter no companheiro do seu familiar um apoio nessa luta.

Também é preciso observar pela questão do interesse, pois como muitos pacientes recebem salários e podem ser influenciáveis, inocentes, correm o risco de serem enganados.

Esquizofrenia e relacionamento, pode ou não pode??

Sim, quem tem esquizofrenia pode vir a ter um relacionamento afetivo, basta que realmente queira e esteja disposto a isso. E que a pessoa escolhida também queira verdadeiramente dividir seus dias e momentos com esse parceiro/a.

Portanto cuidador: fique tranquilo se seu familiar quiser ter um relacionamento, apenas certifique-se de que é uma pessoa sincera em seus sentimentos.

Mas, também respeite a privacidade e escolha do seu familiar que optar por não ter um relacionamento amoroso.

 

Beijos e até logo!

Daniela

 

Comentários

Comentários