Minha história com a Esquizofrenia – Parte I

Você sabia que eu também tenho familiar com esquizofrenia?

Olá, tudo bem?

Não sei se você conhece a minha história, o porque eu decidi trabalhar especificamente com os familiares de quem tem esquizofrenia? Não? Então agora você vai conhecer!

Bom, penso que a minha história com a esquizofrenia começou ainda na minha infância, pois tive dois primos com esquizofrenia, mas claro que naquela época não se sabia isso, eram os “loucos” da família.

Um desses primos eu convivia mais. Cada vez que ele ia na minha casa eu (pequena, menos de 10 anos), ficava envolta dele, escutando ele falar das histórias dele (delírios, alucinações) e questionando, como era, o que ele via, enfim, você sabe como é criança né! J .

Minha mãe me xingava e dizia para sair de perto dele, porque daqui a pouco ele podia se irritar com minhas perguntas…mas eu não obedecia…gostava de ouvir o que acontecia com ele. Sempre fui curiosa!! J

O outro primo morava distante, no interior, esse vi raras vezes, mas ouvia histórias sobre ele, que ele não tomava banho, era uma luta para conseguir, e fazer a barba, cabelo, essas coisas de higiene. E claro, era o “afastado” da família.

Uma vez fomos na casa desses tios, e eu o vi. A noite ele falava muito alto com as alucinações dele, e confesso que fiquei com medo, parecia que estava falando comigo: “Não é para dormir”, é o que ele dizia…. E eu criança, pequena, lógico que não entendia o estava acontecendo e fiquei com medo.

Pois bem, o tempo passou, eu cresci e cada vez mais fui gostando da Psicologia. Durante um dos estágios, em uma clínica psiquiátrica, o paciente que eu observei… adivinha??? Tinha esquizofrenia paranoide!

A esquizofrenia entrou na minha vida novamente, e agora eu sabia entendê-la!

Me sensibilizei de tal forma com esse paciente e sua história, assim como a dos familiares que iam no local, e descobri ali o que eu queria fazer, com quem eu queria trabalhar e ajudar!!

E foi aí que surgiu também o tema do meu trabalho de conclusão!

Mas, como esse e-mail já está ficando muito grande vou contar essa parte no próximo e-mail, combinado?

Mas, só para finalizar, hoje eu entendo que esses dois primos foram os primeiros sinais do que eu iria trabalhar futuramente. E entendo agora o porquê do meu fascínio por eles e suas histórias.

Também posso dizer que agradeço a eles por terem participado da minha vida, mesmo que pouco, pois assim eles despertaram em mim o que eu realmente queria fazer, quem eu realmente queria ajudar e precisava de mim!!

Então no próximo e-mail você vai conhecer como a esquizofrenia entrou na minha vida de forma profissional.

Não perca!!

Grande abraço,

Psicóloga Daniela da Silva