Falta de informações sobre o transtorno da Esquizofrenia

Facebooktwittergoogle_plus

Psicoeducação

O transtorno da Esquizofrenia não causa prejuízos somente a pessoa que têm esquizofrenia, mas também ao seus familiares e cuidadores, os quais geralmente são as mães.

Após a desinstitucionalização o cuidado da pessoa que têm esquizofrenia foi redirecionado aos seus familiares, porém os mesmos não foram preparados e nem sequer são orientados sobre como agir perante uma doença tão incapacitante e agressiva.

Perante as crises os cuidadores não sabem como agir, não sabem o que pensar de seu familiar, ficam apavorados, extremamente tristes e perdidos. Não sabem a quem recorrer ou pedir ajuda. E sozinhos precisam aprender a lidar com esta nova realidade que os cerca.

Infelizmente, ainda hoje vemos que muitos profissionais não estão preparados para lidar com a demanda do paciente portador de esquizofrenia e seu familiar, além das estruturas precárias da saúde, da falta de medicamentos e da inexistência de uma Psicoeducação.

Não se explica direito aos familiares o que é o transtorno, como agir e lidar com seu familiar, raras exceções de locais que proporcionam este auxilio a população. Sem falar em muitos profissionais que atendem com ignorância, que não orientam, não esclarecem a doença aos usuários e cuidadores. A maioria dos cuidadores e portadores do transtorno não sabem nada do transtorno, do que enfrentarão e de como deverão agir.

imagem esquizo

Psicoeducação!!

E como se não bastassem todas essas circunstâncias, emocional abalado, os cuidadores e familiares ainda enfrentam o preconceito com seu familiar, vindo muitas vezes de membros da família, amigos, conhecidos ou até equipes médicas.

É necessário que a equipe de enfermagem, médicos e enfermeiros, a qual tem o primeiro contato com o paciente e família, oriente estes familiares em como lidar com seu familiar com esquizofrenia, tirem as dúvidas referentes ao transtorno, cuidados e medicações.

Estudos apontam que famílias que foram orientadas desde o início da internação de seu parente demonstraram sofrer menos com as internações e estavam um pouco mais preparadas para o processo pós alta.

Após a saída do paciente da internação é necessário que aja um acompanhamento da rede de saúde mental a esta família, a fim de proporcionar apoio psicológico aos cuidadores, cuidados com a pessoa que têm esquizofrenia e tratamento medicamentoso.

Sabemos que a Esquizofrenia não é um transtorno fácil, e que a saúde ainda não apresenta condições adequadas para cuidar deste contexto, mas é preciso lutar por seus direitos, ir atrás de ajuda, atendimento, buscar informações sobre o curso da doença, sobre medicações melhores, o que fazer e o que não fazer quando o paciente está em surto.

Quanto aos profissionais da área de saúde mental, Psiquiatras, Médicos, Enfermeiros, Psicólogos e demais membros da equipe, estes também precisam ampliar seus conhecimentos acerca do transtorno, do apoio familiar, de como ajudar os cuidadores e pessoas que têm esquizofrenia a viver um pouco melhor, com mais qualidade de vida, com perspectivas melhores!

Beijos e até logo!

Daniela

Comentários

Comentários