Meu filho tem esquizofrenia, e agora?

Facebooktwittergoogle_plus

Vamos falar um pouquinho sobre os sentimentos e o que pensam os familiares de alguém que têm esquizofrenia? O que sentem esses cuidadores quando descobrem a doença?

São sentimentos confusos e contraditórios, incertezas, desamparo. Diferentes e diversos sentimentos vivenciados pela família, pelos cuidadores de um familiar que tem esquizofrenia.

A culpa, o medo, a insegurança são uns dos primeiros sentimentos que os pais sentem. Acham que podem ter sido culpados pela doença do/a filho/a.  Sentem medo do que acontecerá, de como será a partir dali. Inseguros quanto a tudo que os cerca.

Cuidadores sobrecarregados, estressados, angustiados. A falta de apoio, de cuidado, da vida antes e depois da descoberta da doença atingem os cuidadores. Sem falar nos cuidados médicos, nos atendimentos precários, falta de informações que deixam o cuidador perdido.

E o que fazer para amenizar todos esses sofrimentos?

O que sentem os cuidadores??

O que sentem os cuidadores??

  • Em primeiro lugar é necessário que o cuidador e/ou familiar aceite a doença de seu familiar;
  • É importante que os cuidadores participem de grupos de familiares de pessoas que tenham familiar com o transtorno;
  • Que se acabe com o estima da doença, dos mitos de se ter esquizofrenia. Estigma são atitudes negativas e errôneas sobre pessoas com doenças mentais, que perante os grupos sociais levam-no a rejeição e isolamento. Transmitido ao longo das gerações, leva um valor moral ao indivíduo estigmatizado que acaba internalizando esse valor negativo, que influenciará sua autoimagem e autoestima. (Goffman, 1998). Não é uma conquista fácil, mas com a união de todos, é possível!
  • As famílias precisam reagir, buscar conhecimento da doença, dos tratamentos, como agir com seu familiar;
  • Os cuidadores precisam de atenção, de cuidado. O cuidador tem que entender que não é o culpado pelo surgimento da doença e assim não se isolar também. Precisam conhecer pessoas, continuar vivendo;
  • Não tornem seu familiar totalmente dependente de você. Ele pode fazer, muitas atividades e levar uma vida próxima do “normal”;
  • Busque momentos de lazer para você. Eleve sua autoestima, não se deixe abater;

Essas são apenas algumas dicas para as famílias, os cuidadores de pessoas que tem esquizofrenia.

Iremos falar muito sobre este assunto, discutir ideias, contar histórias, trocar experiências e dessa forma a família poderá voltar a viver um pouco em paz.

Beijos e até breve!!

Daniela

Comentários

Comentários